O que é Neuropatia Periférica??

O que é Neuropatia Periférica??

Parece um nome tão complicado, né? Mas a gente traduz, vejamos: neuropatia é a doença de um nervo. Neste caso, periférica se refere ao que está no sistema nervoso periférico, ou seja, nervos que estão nos braços, pernas, órgaos e tecidos.

Opa, há algum tempo nós já falamos de uma neuropatia – a Neuropatia do Trigêmio (neuralgia do trigêmeo), doença que causa dor na face – que também é doença de um nervo, mas um nervo que vem diretamente do cérebro e então ele não é periférico. Ficou curioso? Clica aqui que a gente fala melhor disso. Vamos continuar abaixo com as neuropatias periféricas aqui, ok?

Pode causar dormência, formigamento e fraqueza. Também pode causar dor. Estes sintomas geralmente começam nos nervos mais longos do corpo e, portanto, afetam os pés e depois as mãos. Isso às vezes é chamado de padrão de “bota e luva”. Os sintomas costumam se espalhar lentamente e uniformemente pelas pernas e braços. Outras partes do corpo também podem ser afetadas. A maioria das pessoas que desenvolvem neuropatia periférica tem mais de 55 anos. Mas as pessoas podem ser afetadas a qualquer idade.

O que causa neuropatia periférica?

A neuropatia periférica tem muitas formas e causas. Algumas das causas ainda são desconhecidas. A causa mais comum é o diabetes. Outras causas comuns incluem abuso de álcool, má nutrição, processos auto-imunes (onde o próprio sistema imunológico do corpo ataca partes dos nervos) e genéticas. A exposição a determinadas drogas ou toxinas pode levar à neuropatia. A pressão direta ou a compressão de um único nervo, como ocorre na síndrome do túnel do carpo podem causar mau funcionamento (neuropatia do nervo mediano, no caso).

Quais são os sintomas?

Os sintomas iniciais da neuropatia periférica incluem:

• Formigamento

• Queimação

• Dor tipo pontada ou choque

• Câimbras musculares

• Amortecimento

• Sensibilidade ao toque

Ao longo dos anos, o dano dos nervos pode piorar. Os sintomas mais gravespodem incluir:

• Fraqueza

• Perda de massa muscular

• Problemas digestivos

• Disfunção erétil nos homens

• Tonturas

• Problemas de equilíbrio e caminhada

• Aumento do risco de úlceras ou infecção nos pés

A maioria dos tipos de neuropatia se desenvolve e progride lentamente. Mas alguns tipos são rápidos. Por exemplo, com a síndrome de Guillain-Barré, um distúrbio no qual o sistema imunológico do corpo ataca os nervos, os sintomas de neuropatia aparecem de repente e progridem rapidamente. Então, eles ficam cada vez melhores quando os nervos danificados vão se reestabelecendo.

Como diagnosticar a neuropatia periférica?

A neuropatia periférica é geralmente reconhecida pela primeira vez por causa dos sintomas característicos.

Um neurologista procurará condições médicas associadas a neuropatia ou medicamentos que geralmente causam neuropatia.

Um exame neurológico no consultório geralmente pode confirmar o diagnóstico. Às vezes, testes elétricos dos nervos e músculos (eletromiografia e estudos de condução nervosa) ajudam a confirmar e classificar a neuropatia. Mais testes podem ser necessários para determinar a causa da neuropatia, como alguns exames de sangue ou punção lombar – dependendo de cada caso. Às vezes, uma causa específica não é identificada.

Quais são as opções de tratamento?

Para a maioria dos tipos de neuropatia, não há tratamento disponível que possa curar ou reverter a doença.

Nestes casos, os tratamentos estão disponíveis para os sintomas da doença, especialmente a dor. Os tratamentos incluem analgésicos, antiepilépticos, antidepressivos, capsaicina e lidocaína.

A fisioterapia e reabilitação podem ajudar com problemas de equilíbrio e questões de segurança.

Para alguns tipos de neuropatia, estão disponíveis tratamentos que podem ajudar a controlar a doença ou evitar outros danos nos nervos. Tratam-se de neuropatias decorrentes de outras doenças, por exemplo:

Para pessoas com neuropatia causada por diabetes, o controle de níveis de açúcar no sangue pode prevenir mais danos nos nervos. Os medicamentos que alteram o sistema imunológico podem ser usados ​​para tratar algumas neuropatias auto-imunes. A identificação de uma causa médica associada tratável, como uma deficiência de vitamina ou desequilíbrio do hormônio da tireóide, pode segurar ou reverter parcialmente a neuropatia.

O exercício pode reduzir a dor nervosa e melhorar a saúde geral e o humor. Caminhada diária, tarefas domésticas, jardinagem e outras tarefas diárias contam como exercício.

Fale com o seu neurologista sobre quais tratamentos podem ser melhores para o seu caso.